Fev 09

Xerostomia ou boca seca! Conheça as causas e o tratamento!

A xerostomia é a sensação subjetiva de secura da boca devido à redução do fluxo salivar provocada por uma alteração no funcionamento das glândulas salivares.

A presença de saliva na cavidade oral é muito importante porque, graças a ela, os tecidos orais mantêm-se húmidos, facilitando a fala, a mastigação, a deglutição, etc. A saliva também permite a função de autolimpeza da boca, assim como a regulação da acumulação de microorganismos. Um nível adequado de saliva pode evitar o desequilíbrio dos microrganismos da cavidade oral, o qual pode originar o aparecimento de cáries, afeçãos nas gengivas, halitose ou mau hálito, entre outras.

Um em cada cinco adultos sofre de xerostomia, o que equivale a 20% da população com idades entre os 18 e os 30 anos, e a 40% dos indivíduos com mais de 50 anos. Importa destacar que afeta duas vezes mais mulheres do que homens. De acordo com os dados estatísticos, a xerostomia ganha um protagonismo cada vez maior na sociedade. É uma condição que afeta a saúde geral e a qualidade de vida.

Causas

As causas da xerostomia são diversas, as mais frequentes são as seguintes:

  • Normalmente, quando se fala em público há uma maior necessidade de salivação para uma melhor vocalização das palavras e, quando se prolonga no tempo, pode provocar a falta de saliva e a necessidade de ingestão de líquidos.
  • O stress, a ansiedade e a depressão afetam o sistema nervoso central e, por isso, são afetados órgãos e glândulas de todo o corpo, incluindo as glândulas salivares.
  • Também a diabetes e outras doenças sistémicas afetam todo o organismo, alterando o funcionamento glandular.
  • A terapêutica com determinados fármacos, como os anti-histamínicos, anti-hipertensores, diuréticos e medicamentos oncológicos, tem como efeitos colaterais a redução do fluxo salivar e, inclusive, a atrofia das glândulas mucosas.
  • Por outro lado, a ausência de dentes provoca uma redução de estímulos na boca e, consequentemente, existe uma menor produção de saliva.
  • Além disso, uma dieta desequilibrada com excesso de hidratos de carbono e défice de consumo de frutas e vegetais pode originar alterações na produção de saliva.
  • Também o tabagismo e o consumo de álcool podem reduzir a secreção salivar, pois inibem a transmissão de impulsos nervosos.

Correção do problema dentário

Dependendo do seu nível de ação, as subtâncias disponíveis para o tratamento da xerostomia, podem dividir-se em sistémicos (substâncias farmacológicas) e agentes tópicos (estimulantes gustativos). Por outro lado, encontram-se os agentes suavizantes ou substitutos salivares que, por meio da utilização de formulações com Betaína, Xilitol, Alantoína, Aloé Vera e Fluoreto de Sódio na higiene oral diária, ajudam a humedecer a mucosa oral.

Estão disponíveis formulações que incluem o Ácido Málico como agente estimulante da secreção salivar sem efeito erosivo sobre o esmalte dentário.

A higiene oral é fundamental quando há problemas de boca seca, sendo necessário reforçar as técnicas de higiene oral por meio da utilização de uma escova de dentes com filamentos macios, pastas dentífricas e colutórios específicos, geles hidratantes, para ajudar a manter a lubrificação da mucosa da boca.

Além disso, recomendam-se consultas periódicas ao médico dentista.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.